Aluguel Venda

5 fatores internos que desvalorizam um imóvel

O mercado imobiliário está cada vez mais competitivo. Na hora de vender, comprar ou alugar um imóvel, é preciso avaliar vários critérios para fazer a escolha certa. Aliar qualidade, praticidade, comodidade, estilo e custo benefício é uma tarefa complicada, mas que precisa ser cumprida com cuidado.

Personalização em excesso, falta de manutenção e de amplitude, ausência de garagem e número de andares são alguns dos principais fatores que desvalorizam um imóvel. Para que você possa conhecer melhor cada um deles, confira o artigo a seguir!

1. Personalização em excesso

Pintar as paredes com cores fortes, decorar a casa toda a partir de um tema muito específico de sua preferência ou usar elementos arquitetônicos e de design fora do comum podem contribuir negativamente com a aceitação do imóvel por parte dos futuros inquilinos ou compradores. Por exemplo: uma pessoa que adora animal print pode decorar todos os ambientes com cores, texturas e papeis de parede com estampas específicas. Por mais que o imóvel seja ótimo, no entanto, ele perderá muitas vendas ou a locação em potencial.

Algumas dicas importantes para valorizar o imóvel são: opte por uma decoração tradicional e neutra, use cores claras na pintura e no revestimento que combinam com tudo, escolha lustres, portas, janelas, torneiras, entre outros acabamentos, que nunca saem de moda. Assim, será mais fácil agradar a qualquer gosto!

2. Falta de manutenção

A manutenção de um imóvel deve ser prioridade quando a intenção é vender ou alugar. Vazamentos, infiltrações, problemas elétricos, torneiras que não funcionam, pintura em péssimas condições, por exemplo, são fatores que desvalorizam um imóvel e podem até mesmo impedir a conclusão do negócio.

O inquilino ou futuro proprietário geralmente descartam as opções de imóvel que apresentam necessidade de reparo, pois o custo do conserto pode ser elevado. Por isso, priorize a manutenção do seu imóvel para mantê-lo sempre em bom estado e bem apresentável.

3. Falta de amplitude

Imóveis com cômodos muito pequenos que não permitem a utilização funcional dos espaços estão perdendo adeptos no mercado. Um imóvel amplo não significa grande metragem, mas uma planta planejada com inteligência. Cozinhas com conceito aberto, quartos que permitam instalações de armários, varandas gourmet e outros cômodos versáteis são alguns exemplos de praticidade e conforto aos moradores.

4. Ausência de garagem

Apartamentos e casas que não oferecem garagem estão em desvantagem. Isso porque o número de pessoas que possuem automóvel aumenta a cada dia, e tanto a segurança quanto a comodidade são demandas comuns à elas.

Quanto mais vagas inclusas, mais valorizado o imóvel fica. Outros diferenciais como vaga coberta e independente uma da outra também contribuem com a valorização do imóvel.

5. Dificuldades de acesso

Sobrados e casas que apresentam muitas escadas podem encontrar empecilhos no mercado imobiliário, pois famílias com crianças, idosos ou portadores de deficiência física preferem casas térreas que garantem mais mobilidade e segurança a todos.

Agora que você conhece os principais fatores que desvalorizam um imóvel, atente-se a eles para conseguir evitá-los. Dessa forma, você agregará valor ao negócio e facilitará a venda ou locação da sua casa ou apartamento.

Gostou das dicas? Quer saber mais sobre o tema? Então entenda como funciona a avaliação de imóveis e descubra quanto vale o seu.

Sobre o autor

Porto Seguro Imóveis

Deixar comentário.

Share This